(62) 9236-5771 / (62) 9636-4838

Construindo sonhos...

Tópicos

  • Filtro UVC


    Cuidados com a agúa do lago parte 04

    Até aqui abordamos as “causas” do aparecimento das algas e as principais maneiras de preveni-las . A partir deste ponto, admitiremos a existência das algas e ao invés de combatermos às causas, combateremos os efeitos das mesmas . Para isto existem duas maneiras distintas : o uso de esterilizadores ultra violeta e os algicidas . Esterilizadores Ultra Violeta – Muita gente o chama de “Filtro UV” – mas na verdade não se trata de um filtro, uma vez que não filtra nada . Ao contrário, atua através da radiação UV-C , matando células vivas pela destruição do seu DNA, provendo o controle não só das algas em suspensão, como também de várias doenças causadas por organismos patógenos presentes na água. . Trata-se de um recipiente cilíndrico (em forma de tubo) cujo núcleo possui uma lâmpada UV com uma quantidade de watts dimensionada ao tamanho do lago. Por dentro deste tubo circula a água que é enviada por uma bomba, devendo sempre passar por uma pré-filtragem, a fim de não enviar detritos sólidos que comprometam a eficiência da radiação uv. Dentro deste tubo de material plástico (não transparente), encontramos um outro tubo (feito de quartzo) que protege a lâmpada UV do contato direto com a água. Este tubo de quartzo possui algumas finalidades específicas no sistema UV, tais como : Fazer com que a lâmpada trabalhe em uma temperatura de cerca de 40ºC que é a ideal, pois do contrário o efeito germicida da radiação uv é reduzido. Evitar que no caso de uma possível interrupção do fluxo de água - a lâmpada (trabalhando a seco) esquente demasiadamente e acabe estourando assim que o fluxo retorne por choque de temperaturas . Limitar a distância que a radiação uv deve estar dos organismos a serem eliminados (entre 0,5 a 2,5 cm.) . Não existe outro material, além do quartzo, que consiga realizar esta função sem interferir na quantidade ideal de radiação UV-C necessária (em torno de 250 Angstrons *) , bem como manter a temperatura da água em torno de 40 ºC . Citação: * Angstron – unidade de medida 10 milhões de vezes menor que um metro.

    Filtro com lâmpada UVC já acoplada
    Portanto, adquira sempre esterilizadores UV que possuam luva de quartzo protegendo a lâmpada . O último ponto a ser observado com relação à esterilização UV é o tempo mínimo de exposição à radiação dos organismos a serem eliminados . Citação: De nada adianta colocar uma bomba fortíssima para circular a água dentro do esterilizador, sem o cálculo do tempo e velocidade de exposição dos organismos que queremos eliminar através da exposição aos raios UV . De acordo com a experiência prática, concluímos que este tempo pode ser mensurado em torno de 35 lh/w* (para aquários) E 100lh/w*(para lagos)....... Citação: (* litros hora por watt). Portanto, existe uma continha básica a se fazer neste caso, bastando multiplicar os valores acima pelo nº de watts da lâmpada . Por exemplo, o fluxo ideal de água para uma lâmpada de 36 watts, deve estar entre 1260 a 3600 litros por hora . Isto não quer dizer que o filtro não irá funcionar se o fluxo for um pouco superior, mas esta é a medida ideal, a que chamamos de “fluxo optimo ou ideal” .

    Citação: Mas o filtro UV não vai destruir as bactérias benéficas da filtragem ??? Muita gente acha que a radiação UV destrói as bactérias benéficas que fazem a filtragem biológica . Podem ficar tranqüilos que isto não ocorre, tendo em vista que tais bactérias formam colônias e não ficam, em sua maioria, totalmente soltas na água, ao contrário, permanecem fixas em locais que oferecem superfície de contato, tais como o cascalho e dentro dos filtros, justificando a existência das mídias filtrantes específicas para filtragem biológica, tais como bio balls, cerâmicas e anéis de vidro sinterizado ultra porosos . Como advertência, jamais tenha a curiosidade de abrir o filtro UV para ver se a lâmpada está funcionando corretamente . A simples exposição dos olhos a esse tipo de radiação pode causar cegueira irreversível . Algicidas – Resolvem rapidamente o problema das algas e se usados de maneira exagerada matam tudo mesmo (algas, plantas, peixes, biologia, etc...). O uso de algicidas deve ser encarado como tratamento de choque, tendo em vista que a maioria possui cobre em sua composição, de efeito cumulativo e nocivo às plantas e animais quando em altas concentrações . Portanto cuidado ! No caso de uso de algicidas, aumente sempre a capacidade de aeração/oxigenação e reforce a filtragem a fim de retirar rapidamente as algas mortas .

    Fonte: Revista Aquarista Junior

    Desenvolvido por Paulo Batista (Paulo Cascata)